Opus Energy

Jumar SolutionsSiemens

"Um ano após estarmos a utilizar os assessments no Departamento de Operações, a rotatividade decresceu 12%. De facto, desde que o processo de recrutamento foi revisto, as diferenças foram notórias."

A Opus Energia é líder no fornecimento independente de energia para o Reino Unido e começou a trabalhar com a Thomas em 2012 de forma a responder aos desafios que estava a sentir ao nível do recrutamento e desenvolvimento.

O desafio

Em 2011, a Opus Energia crescia rapidamente e necessitava de uma estratégia para gerir o seu crescimento.

Como Annamarie Petsis Jones, HR Director na Opus Energy explica, “O nosso desafio estava no recrutamento que não tinha um processo definido, e com um número muito elevado de candidatos a recrutar. Para além deste facto, os recém-integrados saiam durante o período de experiência, o que sugeria que não estávamos a atrair e selecionar os candidatos certos. Ao recorrer aos Assessments Thomas poderíamos garantir o sucesso, mas necessitávamos do apoio da nossa equipa de recrutamento.”

A solução

Sem experiência prévia em Assessments, a equipa de recrutamento suspeitava dos benefícios e tinham receio que a sua autonomia fosse posta em causa.

“Para ultrapassar a relutância, decidimos fazer um estudo piloto com a equipa de Operações, recorrendo ao Thomas GIA (aptidões cognitivas) e Thomas PPA (comportamental), explica Começamos internamente, recolhendo os resultados do Thomas GIA e do Thomas PPA para identificar através de benchmark, os perfis similares a recrutar.”

Todos os candidatos responderam ao Thomas PPA e Thomas GIA demonstrando como os resultados das avaliações poderiam reduzir de forma drástica o tempo despendido no recrutamento e formação de novos elementos.

“Decidimos alargar o recurso dos Assesments através do Thomas 360 de forma a rever o feedback interno sobre o desenvolvimento dos colaboradores.”

Annamarie Petsis Jones explica “o feedback é facultado por um consultor da Thomas e permite aos managers e colaboradores terem uma conversa sincera sobre os próximos passos. Como resultado, o Thomas TEIQue (inteligência emocional) é também frequentemente utilizado como instrumento que permite ajudar a identificar as necessidades de desenvolvimento." 

Atualmente a inteligência emocional é uma competência core e de elevado valor no desempenho dos colaboradores.

Annamaire Petsis Jones, Opus Energy

 Os resultados

Ao assessments passaram de um elemento de desconfiança e ceticismo, para se tornarem amplamente enraizados nos processos de recrutamento, retenção e desenvolvimento.  

Um ano após estarmos a utilizar os assessments no Departamento de Operações, a rotatividade decresceu 12%. De facto, desde que o processo de recrutamento foi revisto, as diferenças foram notórias.

Annamarie Petsis Jones, Opus Energy

“Ao assessments passaram de um elemento de desconfiança e ceticismo, para se tornarem amplamente enraizados nos processos de recrutamento, retenção e desenvolvimento.

De facto, temos tanta confiança nos assessments que atualmente o desafio está em refrear a utilização!”