Benchmarking e análise de dados

Gestão da mudançaEngagement

Quer retirar a incerteza inerente às decisões sobre pessoas? Podemos ajudar a tomar decisões mais informadas e desenvolver estratégias de Recursos Humanos que ajudem a lidar com qualquer coisa desde recrutamento a rotatividade.

Ao reconhecerem a quantidade de dados disponíveis no mundo, muitas empresas começaram a aplicar os dados da empresa para tomar várias decisões estratégicas e operacionais, e experienciaram um impacto considerável na performance do seu negócio.

Tendo testemunhado o impacto extensivo que a big data tem tido no resultado de muitas empresas, os Departamentos de Recursos Humanos começaram a usar dados dos colaboradores de modo a tomarem decisões mais consistentes no recrutamento, retenção, disciplina e gestão de talentos. Ao fazê-lo estão a ajudar a aumentar o perfil estratégico da gestão de recursos humanos das empresas.

Se os líderes organizacionais tiverem acesso a informação mais profunda e abrangente que os seus concorrentes, serão capazes de tomar decisões que lhes permitam tomar uma posição de vantagem. O número de possibilidades para como usar da melhor forma o enorme volume de dados que cada colaborador gera é infinito. Então onde começar?

Não apenas para recrutamento

Existem muitas formas de implementar nas várias etapas do ciclo de vida do colaborador:

  • Recrutamento
  • Retenção de colaboradores
  • Formação e desenvolvimento
  • Trabalho em equipa
  • Desempenho
  • Liderança
  • Plano de sucessão
  • Envolvimento e motivação
  • Produtividade

Durante a fase de recrutamento, será importante ter indicadores que nos permitem identificar que características predizem um melhor desempenho e se um certo perfil em particular é mais adequado para a função ou cultura.

Também pode analisar o talento existente dentro da organização e construir uma especificação por pessoa, tendo por base características que tenham previsto um bom desempenho na sua atual força de trabalho. Pode explorar as lacunas de talento e competências dentro da organização e recrutar de modo a preencher essas lacunas, ou formar e desenvolver os seus talentos existentes. Adicionalmente, os planos de sucessão podem ser orientados, uma vez que tal pode ajudar a identificar os talentos de elevado potencial que estão mais próximos das funções que podem vir a ser necessárias de preencher nos próximos 3, 5 e 10 anos.

Pode ser importante para programas de gestão de mudança com vista a identificar a cultura ou desempenho da empresa no início, para depois medir as diferenças após a conclusão do projeto.

Gestores e líderes também podem usar dados para avaliar os seus departamentos e os colaboradores que lhes reportam. Pode também ajudar os líderes a comunicarem a sua visão de uma forma que se adapte à maioria da organização, ao mesmo tempo que também identifica aqueles que estão mais ou menos empenhados, a compreender qual a melhor forma de motivar os colaboradores e providenciar um melhor ambiente de trabalho, planear recompensas apropriadas e estratégias de disciplina, e finalmente a monitorizar e medir o desempenho.

Compreender a cultura

Podemos trabalhar consigo de modo a examinar os perfis e características da equipa, com vista a desenvolver o que contribui para um bom desempenho dos indivíduos, das equipas e da organização num todo, e as complexidades inerentes à sua empresa. Ao explorar os perfis globais da organização, pode explorar a cultura da organização, as forças, os desafios e as possíveis limitações de competências. Esta informação pode depois ajudar a criar, redefinir e implementar estratégias e consequentemente guiar a mudança e direcionar o recrutamento e decisões de desenvolvimento.

Big data analysis, benchmarking e auditorias ao capital humano são tudo uma e a mesma coisa – aproveitar o poder da informação que os seus colaboradores geram desde o primeiro dia em que entram na sua empresa (e eventualmente até momento em que saem da empresa).