MBA60

Íntegra MedicalBuckinghamshire Business First

A MBA60 é uma empresa especializada em educação, criadora de conteúdos que estimulam a aprendizagem de forma eficaz para o desenvolvimento profissional. Utiliza-se das soluções da Thomas para mapear e fornecer autoconhecimento para profissionais do mercado.

Inovadora na área de educação, a MBA60 oferece programas de desenvolvimento e treinamento para equipes especializados em empresas no setor de franquias e varejo. Os programas são práticos e apresentados através de workshops e treinamentos coletivos, com um viés muito individualizado, buscando a transformação do indivíduo.

“Nossa especialização é muito focada em gestão, por isso vem do MBA e também de ser muito bem aproveitado;, por acreditarmos que cada minuto tem que ser muito bem aproveitado na educação.“ (Pedro Mello – Fundador)

 

          

          

O desafio

Em seus programas de treinamento e desenvolvimento, a MBA60 capacita donos e gestores de franquias e varejo, através do desenvolvimento do autoconhecimento como forma de se obter uma maior eficácia dentro do ambiente de trabalho.

Durante este processo, Pedro Mello e Mauro Perez, sócios da MBA60, identificaram a necessidade da utilização da metodologia DISC como base dos seus treinamentos.

“Nossa especialização é justamente neste mercado, principalmente em programas de desenvolvimento e treinamento para equipes. Nós percebemos então, por conhecer um pouco do DISC e outras ferramentas de autoconhecimento, que as pessoas são diferentes. Se você não tiver um mapeamento dos seus profissionais; de quem deve ser treinado, especialmente em grandes volumes -- não só em programas de desenvolvimento individual, mas também para grandes grupos com perfis muito similares -- se você não tiver uma base de DISC e quiser treinar todo mundo igual, é praticamente querer jogar seu dinheiro fora. A eficácia vai lá pra baixo.” (Pedro Mello – Fundador)

 

A metodologia de treinamento da MBA60 aborda diversos aspectos que auxiliam no desenvolvimento do profissional como um todo.

“Nós construímos toda a nossa metodologia em cima da personalização de todo o desenvolvimento baseado em seus perfis comportamentais. Os trabalhos são feitos de forma coletiva, porém, temos na nossa metodologia algumas paradas de reflexões, nas quais eles analisam tudo o que viram no coletivo e identificam o que e quando se aplica a eles.” (Pedro Mello - Fundador)

Nós utilizamos dois filtros em todos os workshops: um é o filtro do perfil, para ver se aquilo que é exigido está alinhado ao perfil ou não, por exemplo, em uma palestra ou dinâmica de vendas onde todo mundo é “faca na caveira” e eu sou “alto S” ou um “alto C”, isso nunca vai se aplicar a mim; ou, então, se estou trabalhando em lojas, onde a importância de seguir alguns procedimentos padrões são pré-requisitos, e eu tenho um publico ligeiramente de “altos I”, também não vai funcionar. O perfil é um filtro para ele ver aquilo que tem mais aderência ou não para aquela pessoa.

 

O outro filtro que usamos é o do foco. A gente desenvolve isso como um filtro, através de uma dinâmica chamada 80/20. Ela consiste em eliminar aquilo que você não faz bem e que não gera retorno, e focar só naquilo que te dá um retorno maior.” (Pedro Mello – Fundador)

 

Os sócios iniciaram a busca por uma ferramenta que apresentasse, de forma clara e objetiva, os perfis dos participantes a serem aplicados no início do programa. Após utilizarem outras ferramentas do mercado, em uma reunião casual, na qual acabaram conhecendo a Thomas, propôs-se a aplicação de um projeto piloto, entendendo as necessidades da MBA60, para mapear as equipes e fornecer o autoconhecimento necessário a todos os gestores e líderes participantes.

“Posso falar com muita segurança que um ou dois workshops nós fizemos sem o DISC; que o cliente podia escolher por conta de custos. Quando chegamos no terceiro, a gente falou: esquece, sem DISC a gente não faz mais!” (Pedro Mello – Fundador)

 

  

A solução

Para fornecer o autoconhecimento necessário aos participantes dos treinamentos, a MBA60 decidiu então iniciar o projeto piloto junto com a Thomas. Para isso, as melhores soluções disponíveis no mercado foram disponibilizadas, abrangendo os principais aspectos de autoconhecimento de um indivíduo: o seu comportamento e sua inteligência emocional.

Essas ferramentas foram introduzidas durante um processo abrangente de treinamento e desenvolvimento oferecido pela MBA60. As ferramentas da Thomas auxiliaram os candidatos nas primeiras etapas de identificação de perfil. 

          

Logo no início do programa da MBA60, as ferramentas da Thomas foram aplicadas em todos os participantes; o PPA, fornecendo informações sobre as características comportamentais, enquanto o TEIQue fornecia as características de inteligência emocional.

“O PPA é uma das primeiras etapas;, ele entra umas três ou quatro semanas antes do início do processo. Quando a gente vai para o campo pra trabalhar com as pessoas nos workshops e treinamentos, ele é a base do início do treinamento; a primeira dinâmica é em cima dele. É pré-requisito ter o PPA; ele vira um dos filtros do programa, por isso ele tem essa importância.” (Pedro Mello – Fundador)

 

Após a aplicação das ferramentas, os candidatos foram divididos em grupos, de acordo com a performance de vendas das pessoas a serem avaliadas, e identificaram quais são os perfis predominantes em cada grupo.

 

No grupo de melhor performance foi aplicado o relatório de Team Analysis, para descobrir quais são as principais características que tornam o grupo uma referência, entre elas: pontos fortes e limitações da equipe, reação a mudanças, qual o líder ideal e o valor da equipe.

Com essas informações, foi possível identificar quais eram as melhores maneiras para a equipe trabalhar e que medidas poderiam ser tomada para melhorar a performance em suas gestões.

 

Com todos os resultados em mãos, foi aplicado o estudo de predominância DISC e de inteligência emocional em cada grupo, para fornecer quais são as características predominantes quanto ao comportamento e à emoção.

 

Com todos os dados consolidados em mãos, a primeira etapa foi a entrega aos gestores do projeto, para que pudessem realizar uma leitura completa dos participantes, e entender como cada grupo se comportava e como reagia às emoções.

A segunda parte envolveu as devolutivas para os grupos participantes, onde os mesmos recebiam seus resultados e desenvolviam a metodologia, a partir dos exercícios apresentados no programa.

“As devolutivas são em grupo, com a autoria deles. Isso é bacana; a gente vai aplicando os exercícios, mostrando vídeos, fazendo perguntas, fazendo eles trabalhar e gerar todo o conteúdo; isso é, praticamente, 80%, 90% de prática. É uma maneira muito mais objetiva de trazer aprendizado pra eles.” (Pedro Mello – Fundador)

 

 

Os resultados

Depois de toda a aplicação do projeto piloto, a MBA60 avaliou todas as informações coletadas e os resultados gerados, chegando a conclusão de que havia muito conteúdo valioso para um nível muito básico dos participantes. Por estarem lidando com gestores de diversas áreas, e não de áreas específicas de relações humanas, percebeu-se que nem todas as pessoas iriam absorver a quantidade de informações que o PPA e o TEIQue podiam oferecer.

Visto que a metodologia DISC é a base do desenvolvimento dos treinamentos, a MBA60 optou por aprofundar as aplicações e aprimorar ainda mais o desenvolvimento comportamental através das informações que o PPA e a metodologia DISC oferecem.

“Com o nível de gestão em redes de franquias e varejos, não é possível nem utilizar a metodologia DISC corretamente. Então, naquele momento, analisei e decidi usar o básico bem feito. Se conseguirmos fazer isso, já vai ser um grande salto! Na turma em que o TEIQue (Inteligência Emocional) foi aplicado, vimos que era muita, mas muita informação. Então, colocar os caras pra trabalhar só o PPA já é um salto gigante.

As pessoas devem entender a importância da personalização e de sair da massificação, porque todo nosso mundo é massificado; nossa escola, nossa universidade, nossos empregos etc. são massificados. É tudo pela média, pelo trabalho das competências e incompetências, de acordo com os perfis. Até as pessoas entenderem isso, transformar a cultura leva um tempo. Esse talvez seja uma das nossas maiores barreiras, porque todo mundo faz tudo igual.

Outra coisa importantíssima: tudo que a gente faz é para a transformação do indivíduo. Essa transformação só vem quando a pessoa reconhecer que ela precisa ser transformada. Se você não tiver o PPA, que fala exatamente quem a pessoa é e deixa mais o perfil comportamental dela mais claro, ela nunca vai conseguir se perceber nem ver as coisas nas quais precisa trabalhar. Está aí um aspecto muito mais importante, pois, se não é só motivacional, vai ficar oito horas trabalhando, durante o final de semana inteiro, e não consegue se desligar. Na segunda-feirada, você é engolido pela operação de novo e nada fica de mudança; vira-se um robô.” (Pedro Mello – Fundador)

 

O projeto ajudou a MBA60 não somente a fornecer as informações comportamentais e emocionais detalhadas dos participantes, mas também a identificar os níveis gerenciais e o conhecimento que os participantes tinham antes e depois do projeto. Apesar de conter muitas atividades e etapas durante os treinamentos, o dinamismo dos orkshops ajudam o participante a absorver o conteúdo, de uma forma suave e natural, fazendo com que eles entendam a importância de se obter o autoconhecimento para aprimorar a gestão e, consequentemente, a performance da equipe e as vendas.

“Os relatos que a gente tem das redes franqueadoras são muito positivos em relação a isso. A própria equipe da franqueadora acaba se focando em ajudá-la a realizar aquelas atividades. Cada um escreve uma cartinha para si mesmo, que será postada depois de 25 dias só pra lembrá-lo do objetivo principal, e quando a gente compila esses dados e você vê os objetivos, são coisas completamente diferentes, o que reforça aquilo que a gente fala: que não existe uma fórmula para o sucesso. Não adianta te dar um curso de vendas e você vai sair vendendo; não vai! Porque depende do perfil comportamental de cada um. Então, tem sido muito positiva a maneira como as pessoas têm recebido isso.

A parte que todo mundo mais gosta é a dinâmica que fazemos com o DISC. As pessoas se conectam e sentem que algo fala delas individualmente. A partir daí, inicia-se toda uma trajetória de personalização. Você pega qualquer palestra, workshop ou aula e fala com eles, mas não se sabe quem é o publico. Você só esta falando. Pode até saber quem é o publico mas não sabe de fato de quem é o publico. E quando você começa com o DISC na largada, você já entende tudo e começa a ver grupos com as dinâmicas: “alto I” de um lado, “alto S” do outro, “alto D” pra outro e “alto C” do outro; cada um apresentando para si e eles começam a se ver. Isso é muito rico!” (Pedro Mello – Fundador)

 

Esse projeto é apenas o começo para a MBA60. Muitas implementações podem ser feitas apenas com a ferramenta do PPA em seus programas de treinamento e desenvolvimento, para acompanhar a constante evolução pela qual a empresa vem passando.

“Olha, acho que tem tanta coisa ainda para fazer só com DISC, que eu ainda estou para descobrir!” (Pedro Mello – Fundador).