As características de um bom gestor

Saiba mais sobre seu pessoal com um dos mais...O modelo de processo de mudanças da Thomas

Muitos de nós já ouvimos a frase "pessoas deixam gerentes, não a empresa", mas isso pode ser evitado facilmente. Como você, como gestor, pode assegurar que esteja continuamente desenvolvendo relações fortes e colaboradora com a equipe?

De acordo com a Força Tarefa de Engajamento de Funcionários, apoiada pelo departamento público britânico de Habilidades e Inovações em Negócios, somente um terço dos funcionários no Reino Unido dizem estar ativamente envolvidos no trabalho, com mais de 20 milhões de trabalhadores sem produzir todo o potencial.

Engage for Success

Essas estatísticas são preocupantes. Uma pesquisa mais extensa demonstra que o nível de engajamento em todo mundo é em média 13%. É mais fácil enterrar a cabeça na areia do que se dedicar a administrar questões compelxas como o comprometimento de funcionários, mas trata-se de um problema que não irá desaparecer sozinho. Se o grau de envolvimento não for administrado, continuará a diminuir durante o ano; é um problema com o qual líderes não podem ser tolerantes.

Embora haja uma mistura de fatores envolvendo o engajamento dos funcionários, o relacionamento com o gerente é considerado a maior causa para a desmotivação, portanto deveria receber um foco especial em todas as organizações. Deveria ser óbvio, já que passamos a maior parte do tempo com colegas de trabalho do que amigos e família. Na verdade, para uma pessoa que trabalha em tempo integral, trata-se de mais de 2.000 horas. É muito tempo e isso só realça o quanto é importante construir relações positivas com quem trabalhamos. Pensando por esse ângulo, é evidente que funcionários insatisfeitos com relacionamentos no trabalho tendem a buscar "gramas mais verdes".

Na Thomas, vemos engajamento como um fator vantajoso para ambas as partes. Quando seu pessoal tem uma atitude positiva na função ou empresa, tendem a ser mais produtivos; estar menos ausentes e mais dipostos a aprender. Tudo isso ajudar a organização a ser bem-sucedida, a aprimorar a rentabilidade e a ser um bom local para se trabalhar.

Usamos nossas ferramentas para entender verdadeiramente nosso pessoal, como indivíduos, e isso nos permite adaptar a maneira como abordamos engajamento. Temos muito orgulho de, em 2015, termos ganhado o Certificado de Melhor Empresa na categoria "excelente" e também de estar entre as cinco empresas classificadas pelo Financial Times e Glassdoor na lista de Melhores Locais para se Trabalhar em Finanças e Consultoria na Inglaterra. Sabemos que isso é resultado do engajamento dos funcionários, originado da cultura de sermos genuinamente interessados em pessoas.

Usamos o modelo do Thomas Engage, que avalia a força e a qualidade das relações por meio de dois impulsionadores:

  • Companheirismo – as pessoas precisam se sentir valorizadas como membros do grupo; precisam de segurança, confiança e suporte, além de relacionamentos cooperantes e amigáveis.
  • Voz – as pessoas precisam se sentir aceitas; que suas opiniões sejam valorizadas e influenciadoras; que outros as escutem e respeitem o que têm a dizer.

Muitos de nós já ouvimos a frase "pessoas deixam gerentes, não a empresa", mas isso pode ser evitado facilmente. Como você, como gestor, pode assegurar que esteja continuamente desenvolvendo relações fortes e colaboradora com a equipe?

Talvez um bom lugar para começar é observar o que faz um gerente ser bom diante dos olhos de um funcionário? Como gestor, você tem a responsabilidade de promover o compromisso do funcionário. Isso pode estar relacionado a: de que maneira permite que eles façam o trabalho; como se comporta com eles; e, como modelo de conduta, de que forma transmite mensagens por canais variados.

As características de um bom gestor: 

  1. Transmite expectativas quanto ao desempenho claramente a todos os envolvidos
  2. Dá aos funcionários acesso a todos os recursos que precisam para fazer o trabalho direito
  3. Dá liberdade para que os funcionários façam diferença, focando-se no que têm de melhor
  4. Reconhece os integrantes da equipe pela contribuição e o esforço
  5. Faz com que todos se sintam bem cuidados, como indivíduos
  6. Ajuda as pessoas a sentir que têm uma participação significativa no trabalho
  7. Incentiva os funcionários a crescer e se desenvolver
  8. Dá a eles responsabilidade e confia que concluirão a tarefa

O fato é que os funcionários que são bem gerenciados perdoam qualquer fraqueza (afinal, não somos perfeitos!) e isso vem de um relacionamento frote, baseado em confiança e respeito mútuo.

E agora?

Questões a considerar:

  • Que procedimentos a organização utiliza para captar ideias e opiniões vindas dos funcionários?
  • Como o pessoal expressa sua voz?
  • O que a empresa faz para promover a confiança, o companheirismo e o trabalho em grupo, tanto dentro como entre equipes?
  • Os gestores recebem treinamento efetivo para desenvolver habilidades de liderança e gerenciamento?
  • Os gestores normalmente se disponibilizam para conhecer o pessoal?
  • A empresa estimula e recompensa o companheirismo?

Finalmente, um ponto de reflexão:

Peter Drucker, famoso por colocar as pessoas certas nos empreendimentos certos em todo o mundo, disse um dia:

Eu me pergunto: será que eu ia querer ver meu filho trabalhando para essa pessoa? Se ela for bem-sucedida, então os jovens provavelmente irão imitá-la. Será que ia gostar se meu filho ou minha filha fosse assim?
 

Martin Reed

Martin Reed

As CEO, Martin is a hands on business leader who is driven to help Thomas and its clients to thrive. He is a true visionary who has delivered business success through innovation for over 25 years. He enjoys trying out new ideas, projects and business ventures. Martin is an avid golfer and when the opportunity presents itself, you’ll find Martin out water-skiing.